Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Produção 27/10/2021 | 10h46

Representantes do setor vitivinícola pedem aumento de 23% no preço mínimo do quilo da uva


Representantes do setor vitivinícola pedem aumento de 23% no preço mínimo do quilo da uva
Foto: iStock/ Divulgação

Na safra 2019-2020 o preço mínimo da uva industrial foi definido em R$ 1,08/kg. Para o período 2020-2021 a Conab aumentou o valor em apenas R$ 0,02, sendo que o valor vigente até 31 de dezembro deste ano é de R$ 1,10/kg. Neste e no próximo mês, a Companhia Nacional de Abastecimento elabora um estudo para definir o preço mínimo da uva para a safra 2021-2022.

Segundo o coordenador da Frente Parlamentar da Vitivinicultura da Assembleia gaúcha, deputado Elton Weber (PSB), na semana passada (dia 21) foi realizada uma audiência em Brasília, no Ministério da Agricultura, com o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Cesar Halum; e com o secretário de Política Agrícola Guilherme Bastos Filho.

No encontro, representantes da cadeia produtiva, incluindo a Comissão Interestadual da Uva, apresentaram o levantamento do custo de produção que teve aumento de 23%, percentual calculado com base em índices do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) do fim de julho. Ou seja, a estimativa é de que o preço mínimo deveria ser de R$ 1,35/kg. Os principais acréscimos foram em combustíveis, fertilizantes e mão de obra. Elton Weber comenta que foi solicitado um aumento substancial no preço mínimo da fruta.

Para o enólogo André Gasperin, vice-presidente da Rede de Vinícolas de Caxias do Sul (Revinsul) e presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), há a necessidade de reconhecer o trabalho e os investimentos feitos pelos produtores. O dirigente espera que o preço divulgado seja justo, tendo em vista que a definição agora passa por um processo amplo de discussão.

O preço será definido após encontros envolvendo representantes de agricultores, revendedores de insumos e indústrias. O novo valor a ser praticado a partir de 1º de janeiro de 2022 pelos Estados das regiões Sul, Sudeste e Nordeste para a uva destinada à fabricação de suco, vinho e outros derivados deve ser definido até o fim de novembro. O preço leva em conta os custos variáveis de produção, além de considerar outros indicadores de mercado.


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.